terça-feira, maio 24, 2022
Google search engine
HomeArtigosA importância do Yod em Astrologia

A importância do Yod em Astrologia

Um “yod” é um padrão de aspectos que usam alguns astrólogos. É composto de dois planetas em sextil próximo (60º), com um terceiro planeta em quincúncio (150º) com ambos os planetas em sextil.
A verdade sobre os yods é que não são extremamente importantes, ou pelo menos não tanto como alguns o fazem parecer. De fato, arrisco-me a dizer que o yod é uma das configurações mais sobreaclamadas em astrologia, pelo menos relativamente ao seu mérito real. Geralmente recebem todo o tipo de títulos para os yods, como “o dedo de deus”, ou “o dedo da fé”. Não está muito claro quem escreveu a configuração com estes nomes, pela primeira vez, mas eu gostaria de mencionar que não são bem-sucedidos e este é o argumento:

O Quincúncio
O ‘quincúncio’ não é um aspecto. O que eu quero dizer com o que não é um aspecto? Refiro-Me a que não se rege pelas mesmas bases que os outros aspectos importantes continuam, e, portanto, não deve atribuírsele o mesmo nível de importância.
O Componente Visual dos Aspectos
Em tempos modernos, nós estamos acostumados a pensar sobre os aspectos simplesmente como distâncias geométricas, mas essa não é toda a história. O termo ‘aparência’ vem do Latim aspectus, o qual vem do Latim aspicere, que significa “olhar”. Nas primeiras tradições da astrologia, os aspectos eram concebidos com termos visuais, e dedicação denotam a habilidade ou inabilidade dos planetas para ver uns aos outros, e, portanto, ser capazes de comentar sobre o que o outro estava fazendo.
Enquanto que é verdade que parte dessa conceituação visual foi baseada em raios geométricos dos quais provenientes de planetas e eram conformados com polígonos regulares, também tinha uma noção de que, para conseguir que os planetas fossem capazes de ‘ver’ uns aos outros, deveriam manter algum tipo de afinidade entre eles. Os seus arredores devem ser condutores diante de sua tentativa de se observar.
Afinidades Entre Sinais
Aqui é onde aparecem os sinais, e é a peça fundamental que falta no diálogo moderno entre os aspectos. Os cinco aspectos ‘Ptolomeus’ mais importantes, conjunção, sextil, quadratura, trígono e oposição, não estão baseados apenas nas formas geométricas e as distâncias correspondentes, mas que também se conectam ao lado signos do zodíaco com os que têm uma afinidade através de seu gênero, elemento, e modalidade. É assim que se resume:

Os Aspectos Menores Não São Suficiente na Afinidade do Zodíaco
É esta afinidade entre os sinais em que se localizam os planetas, combinada com as distâncias geométricas, o que faz os 5 ‘aspectos’ importantes especiais. Isso é o que falta em aspectos menores, e, em particular, o quincúncio. Supõe-Se que o quincúncio conecta planetas que se encontram a cinco sinais de distância, mas você pode perceber que estes sinais não compartilham nenhuma das afinidades mencionadas acima, tanto de gênero, elemento ou modalidade. Os sinais não compartilham nenhum tipo de afinidade, e, portanto, não podem chamar-se ‘aspectos’ no sentido mais estrito da palavra.
Isto é bastante simples e direto, especialmente se vier do ambiente do zodíaco da astrologia Sol-signo. Então, Por que tantos astrólogos modernos assumem que o quincúncio é um aspecto, e, por extensão, que o yod é especial, já que, em essência, é um quincúncio dupla?
Johannes Kepler e a Teoria da Aparência Moderna
A resposta pode ser encontrada na pessoa que introduziu o quincúncio e o semisextil, como outros aspectos ‘menores’, o famoso astrônomo/astrólogo do século 17 Johannes Kepler. A Kepler realmente lhe apasionaba a geometria, e pensou que este era um dos pontos fortes da astrologia. Não obstante, o signo não o impressionou tanto, e procurou marginarlo de seu trabalho astrológico.
Esta é a principal razão por que a Kepler achou correto romper com a tradição ao introduzir aspectos que eram totalmente de natureza geométrica e não estavam atados pelo ambiente zodiacal. A conceituação moderna de aspectos ainda se mantém amplamente enraizada na visão de Kepler sobre este tema, e este é o motivo de que os aspectos sejam totalmente como formas geométricas, ignorando o fato de que o signo ainda mantém um papel integral na construção astrológica.
O Yod como Padrão de Ponto Médio
O que significa isto para o yod? Se o quincúncio tecnicamente não é nem um olhar, ou, pelo menos, não representa uma conexão entre dois sinais, isto significa que o yod não é um padrão astrológico em absoluto. É, na verdade, algo diferente, um padrão de ponto médio.

Um ponto médio é um ponto sensível na carta determinado através da medição da distância mais curta entre dois planetas para depois encontrar o ângulo situado a metade de ambos os pontos.
Assim, no exemplo da esquerda, a Lua está em 13º Áries e o Sol em 13º Gêmeos. O ponto médio entre os dois é 13º Touro.
O ponto médio geralmente é um ponto sensível do mapa que sustenta as implicações combinadas entre os dois planetas. Por exemplo, um número de astrólogos usam o ponto médio entre o Sol e a Lua como um ângulo importante para estudar as relações na vida de uma pessoa. Isto pode ser feito quer estudar os trânsitos deste ponto, ou mais importante, estudando os planetas natais configurados a ele através de um dos aspectos difíceis (por exemplo, conjunção, quadratura ou oposição). Quando um terceiro planeta está intimamente configurado o ponto médio entre dois outros planetas, isso cria um “padrão de ponto médio” ou “imagem do ponto médio”. Aqui é onde aparece o yod.
Você vai notar que, no exemplo, os dois planetas se encontram em sextil, o que é ? do que o necessário para fazer um yod. A maioria vai dizer que a configuração de um yod precisa estar muito apertada, do que os planetas devem encontrar-se com um orbe de 1 e 2 graus, para que realmente seja um yod. A razão para isto, aparentemente, é porque um yod não é mais do que uma imagem de meio ponto, que envolve o planeta no ápice, em oposição ao ponto médio dos dois planetas em sextil.
Assim que o yod não é realmente um padrão de aparência tanto como um padrão de ponto médio. A forma em que pode delinearse é determinando que se supõe que significa o ponto médio entre os dois planetas, e então o que acontece quando um terceiro mundo, que se configura estruturalmente a tal ponto médio.
Não Acredite Toda a emoção do Yod!
Mesmo como padrão de ponto médio, um yod não vai ser necessariamente importante, pelo menos não até o ponto em que se lhe deve conceder um status especial na carta, junto a nomes próprios bastante esotéricos.
Enquanto que pode significar algo importante em seu mapa sobre a natureza e curso de sua vida, e realmente será sensível diante de certos tipos de trânsitos, há muitas outras coisas importantes, para as quais prestar atenção na carta. Assim, assume, com uma pitada de sal, qualquer afirmação dos astrólogos de que se esteja excitado com a importância dos yods.
Bibliografia e fontes.
The Hellenistic Astrology. C. Brennan
A dinâmica dos aspectos. B. Tierney

RELATED ARTICLES
- Advertisment -
Google search engine

Most Popular