O estudo das relações entre duas pessoas deve começar por uma análise completa das próprias cartas natais. Especialmente, isso implica analisar o equilíbrio dos elementos água, fogo, terra e ar em cada uma das duas cartas. Esteja análise nos permitirá ter uma idéia prévia da complementaridade que existe entre as duas pessoas. Por exemplo, duas pessoas fogo – fogo podem ser especialmente criativas e produtivas com muita capacidade de invenção e muito intenso, mas sem o equilíbrio do resto dos elementos, suas criações podem ser práticas ou perder-se na necessidade de o elemento terra, para equilibrar o casal.
Tudo isso só nos dará uma visão global da relação, já que cada pessoa deve ser analisada de forma independente e de acordo com o seu estado evolutivo do momento da consulta, isso deve ser feito, já que um sol em Leão (signo de fogo), mas com ascendente câncer e lua em escorpião dever de ser analisada como uma pessoa que funciona mais em um signo de água que o signo de seu Sol natal.
Os planetas na casa VII nos informar sobre as qualidades das relações que o sujeito busca em seu parceiro, as energias bem representadas devem existir na mesma.
Deve-Se investigar sobre os aspectos que recebem os planetas situados na casa VII, o qual nos informa sobre a capacidade de relacionar-se, a plenitude e a harmonia que se desenvolverá, ou não, entre as duas pessoas. Igualmente, o regente da casa VII deve ser analisado profundamente, e os aspectos que receber.
A casa VIII, indicar-lhe o que recebemos das relações, podendo ser analisada em cada carta o equilíbrio de energia, espaço e tempo que uma pessoa se dava a si mesma (casa II) e o que dá aos outros (casa VIII). A casa VIII representa as heranças e o que se recebe dos outros. Igualmente, pode-se informar sobre os aspectos ocultos que se mantêm dentro da relação e sobre a qualidade das relações sexuais mantidas entre ambos. A casa VIII de nos informar sobre nossos sentimentos e o nosso sentido de posse sobre o casal (uma casa VIII em escorpião com Marte pode ser indicativo de fortes sentimentos de possessividade e possibilidade de ciúme. Nesta casa, como posterior à sete, pode servir de referência no âmbito das relações quando não existe nenhum planeta na casa 7.
Aqueles planetas situados no ascendente ou descendente e a outra pessoa estão localizados em alguns pontos muito sensíveis do mapa natal, sendo importantes para que a vivência entre as pessoas seja profunda e significativa, com boas possibilidades. É importante analisá-lo e em que se baseou a primeira atração e descobrimos que existia um contato entre o eixo e ou com seus regentes.
O meio-céu representa nossas ambições profissionais e a imagem ideal de nós mesmos podemos estar procurando, por isso, aspectos que, ao meio-céu envolvem contatos com a outra pessoa orientados para poder alcançar esses ideais e até mesmo expectativas de que o outro faça o trabalho.
Os contatos com o meio céu e o fundo do céu têm atribuições relacionadas com a busca de sentimentos relacionados com o pai (Saturno, meio do céu) e com a mãe (fundo do céu, padrões emotivos).
Meio-céu = consciente, objetivo.
Fundo do céu = inconsciente, subjetivo.
“Para que a relação tenha um significado importante, profundo e vital devem existir relação importante entre os diferentes eixos de ambas as cartas”
HÁ QUE SE OBSERVAR AS CARACTERÍSTICAS DO PLANETA QUE TEMOS NA CASA VII, AS ESTAMOS OLHANDO PARA O CASAL
O sol na casa VII: A pessoa avaliará, especialmente, as relações. O impulso inato será o de encontrar um casal que equilibre sua vida, podendo expressar as características e opiniões de terceiras pessoas. Encontrar-se à vontade com os outros será importante para este nativo. O sol na casa VII, indica uma personalidade que tende a analisar e viver através das relações, por isso que é bom você ter sua própria individualidade.
A lua na casa VII: representa as emoções, as reações inconscientes e as figuras femininas, como a mulher e a esposa., nosso passado, a nossa origem e a ação não é simples., que um homem a lua representa as características de sua mulher ou de sua mãe.
A Lua é igual a “de onde viemos, como a expressão inconsciente da alma”.
O Sol é igual a “auto-expressão consente, = para onde vamos”.
Os aspectos de equilíbrio ou de tensão nos informar de como estas duas idéias se unem e complementem as duas pessoas ou como chegar a entender estes fins primordiais, torna-se impossível ou muito difícil.
Analisar a relação, em uma das cartas de nos informar sobre a disponibilidade do sujeito para alcançar o equilíbrio com o seu parceiro.
A lua na casa VII: a busca de segurança emocional nas relações. Espera-Se amor e aceitação, mas o casal pode jogar com as emoções ou tender a proteger demais. Pesquisa de relações nas quais se age como mãe ou o casal é a “mãe”. Possíveis problemas emocionais com a mãe. Grande receptividade para com os sentimentos e o estado de espírito do casal, por isso que você vai chegar a relações mais íntimas.
Mercúrio na casa VII: grande capacidade de perceber, compreender e comunicar idéias com o casal, buscando relações que estimulem o sujeito mentalmente, por exemplo, buscando a outra pessoa com Gêmeos ou Virgem importantes em seu mapa, o primeiro contato pode ser devido à capacidade mental de outra pessoa, devido ao intercâmbio de ideias gerado, o outro pode ser jornalista e escritor ou educador, com uma natureza dual (de Mercúrio).
Vênus na casa VII: é uma das melhores posições, já que Vênus rege esta casa (libra), desejando que todas as relações sejam bonitas sendo o casal atraente e agradável. Maus aspectos a Vênus podem indicar frustração e derrota em atingir e estabelecer relações harmoniosas.
Marte na casa VII: A pessoa procura um desafio na relação, pode até dar um certo grau de competitividade. Situações de domínio ou de ser dominado, poderiam ocorrer. Possível tensão com o casal, discussão, situações explosivas. O companheiro pode ter um trabalho ou atividade relacionado com o desporto ou com as forças armadas. A competitividade e a discussão pode se transformar em agressão.
Os planetas situados na casa VII indicam a forma ou o meio pelo qual tentamos conhecer e interpretar os outros, uma vez que nos conhecemos a nós mesmos (primeira casa).
Júpiter na casa VII: é um indicativo promissor para o sucesso das relações, talvez, muito expansivas, talvez com um parceiro importante, generosa, honrado ou filosófica. O aspecto negativo são pessoas indignas de confiança, extravagantes.
É usual que, embora as características são as de um planeta localizado em uma casa do próprio sujeito, essas mesmas características tendem a ser projectados sobre o casal, buscando, no caso de Júpiter uma pessoa sabia, com fé e generosa. O equilíbrio entre a primeira casa e a casa sétima nos obrigam a lembrar em nós mesmos as qualidades do planeta, que está na sétima.
Saturno na casa VII: Saturno representa as lições que temos de aprender para tornarem-se mais conscientes, um casal se constrói com amor e, portanto, o dever, as limitações, a responsabilidade e as frustrações devem ficar à parte. Saturno faz-nos tornarmo-nos conscientes de nossa própria natureza. O casal é muito possível que tenha força em Capricórnio ou um Saturno forte em seu mapa natal. Indicam que o sujeito busca segurança na relação. Saturno indica o que devemos ok para completar a nossa personalidade. Saturno simboliza um vínculo Cármico com o casal, podendo levar algum tipo de sacrifício para o sujeito. A aprendizagem através da relação se intensifica. O casal pode se tornar uma fonte de grandes oportunidades para o desenvolvimento pessoal do indivíduo ou em uma fonte de sofrimentos.
Urano na casa VII: Urano não se adapta bem à estrutura convencional do casamento, podendo chegar a romper-se ou separar-se com uma certa rapidez. Casais raras, incomuns pouco convencionais, boêmios, tudo isso com o fim de reconhecer a própria natureza.
Lembremos aqui que, se as primeiras seis casas estão relacionadas com a descoberta interior através de si mesmo, a casa VII, que é a primeira das casas das quais temos experiências novas de nós mesmos, nos possibilitará maior descoberta interior através da relação com os outros
Netuno na casa VII: casais com a possível confusão e dificuldades, busca a união espiritual das almas, complexo de mártir, de salvador com o outro, parceiro doente, fraco de caráter, ou um alcoólatra. Possível decepção no relacionamento. A busca da União se realiza no plano místico, consentimento de empatia, a muitos níveis, a questão é a de saber se o casal é real ou ideal, para que o sonho não se transforme em pesadelo.
Plutão na casa VII: pesquisa de relações intensas, profundas e casais de pensamento profundo que provocam no sujeito percepções de nível interno, muito profundas, os conceitos de o velho e o novo mutan continuamente no aspecto do casal. O casal se torna uma base para as mudanças evolutivas da pessoa, especialmente em sua psiqué., possíveis relações cármicas profundas, autorizações e atração convulsivos e sentimento de destino da relação. O objetivo: limpar a alma através de uma relação muito forte e muito intensa.