A Lua em Leão, hoje “Lua Nova”, nos motiva a que tomemos alguns riscos criativos.
Acompanhando a situação temos o trígono do Sol e da Lua com Saturno em idealista Sagitário que põem em relevo o nosso sentido de que podemos começar de novo e ter sucesso em nossos esforços.
Quando há uma Lua Nova, não vemos a Lua em absoluto, a maioria das noites mais escuras cheias de estrelas produzem-se quando a saída do sol e da lua acontecem ao mesmo tempo. Seu conjunto gera um portal através do qual as “instruções celestes” são transmitidos através da geometria atual de nosso sistema solar. Em Leão, a Lua Nova nos lembra que nós somos criadores, somos os dedos das mãos e dos pés do Cosmos, explorando as infinitas fronteiras do universo.
Leo está associado com o Sol e com a realização consciente de nossa essência, nosso verdadeiro Ser. Tanto se temos planetas natais em Leo, como se não os temos, todos nós temos um signo solar, que simboliza não tanto o que somos, mas no que estamos nos transformando. O nosso signo solar especifica o tipo de luz que precisamos, assim como o tipo de luz que chegamos a compartilhar. Esta luz codifica a informação, que contém a consciência e a experiência adquirida durante a sua viagem a partir da Fonte. Cada um de nós tem um passado singular, uma perspectiva, e um propósito e, portanto, irradiamos uma centelha única do “divino”.
As estrelas brilham, mesmo quando ninguém está a ver. Nós também somos estrelas, seres emergentes da luz, aprendendo a ser nós mesmos, não importa qual seja a situação. Enquanto limpamos a nossa sombra, quando nos livramos de nossa infância e da programação cultural recebida, tornamo-nos cada vez mais evoluídas expressando nossa luz (nossa verdadeira personalidade, nosso verdadeiro ser).
Em última instância, descobrimos que, na realidade, só há luz e onde a luz ainda não chegou, e que onde há luz, há amor. Amor, não no sentido romântico, mas o amor espiritual, incondicional, que não tem nada fora de seu coração, já que abrange a diversidade infinita de deus.
Vênus também está em Leão, o que acentua a ligação entre a luz, o amor e a criação. O amor se expande, o medo se contrai. A criatividade floresce com o amor e rugas diante da agitação. Para criar, você tem que ser corajoso e estar disposto a enfrentar o desconhecido, tanto se se trata de uma página em branco, como uma tela em branco, ou como uma nova etapa da vida.
Marte, representante da coragem e da paixão, volta a entrar em Sagitário só umas poucas horas antes de a Lua Nova, e nos impulsiona a agir sobre o que temos aprendido, aumentando o nosso desejo de manifestar os nossos ideais mais elevados.
Netuno em Peixes forma um quincúncio a esta Lua Nova, empujándonos a confiar na nossa guia interior, mesmo que não tenha sentido na nossa atual situação.
Cada vez que um planeta muda de direção, suas energias arquetípicas se intensificam. Saturno, volta a uma situação estacionária em 13 de agosto a 10° Sagitário, nós temos reavaliando nossas crenças e objetivos desde o dia 25 de março, quando Saturno ficou retrógrado a 16° Sagitário.
Quanto mais tenhamos refinado nossos limites e nossas prioridades, mais fácil será discernir e dar o nosso próximo passo mais importante. Saturno em trígono com o Sol e a Lua, nos ensina que a dedicação e a disciplina são as chaves para tornar realidade os desejos de nosso coração. Saturno também há uma quadratura muito próxima à de Netuno, e cada vez que outro planeta aspecta desta alinhamento, os ventos de mudança aparecem de novo.
Isso acontece duas vezes nas próximas duas semanas, em primeiro lugar Mercúrio faz uma quadratura a Saturno e se opõe a Netuno o 6-7 de agosto e, em seguida, faz o mesmo Vênus 13-14 de agosto, gerando uma T-quadrado de 10°-11° Virgem, Sagitário e Peixes, respectivamente. A participação de Mercúrio nos ajuda a perceber a diferença entre o serviço e a servidão, enquanto Vênus suaviza o nosso crítico interior e nos lembra que o medo desaparece quando seguimos a nossa alegria.
Esta Lua Nova a 11° de Leo ilustra a importância da estrutura e o suporte, pergunte a si mesmo:
Onde é que preciso ser mais alegre?
Onde preciso transformar-me em meus próprios pais?
O que é que eu aprecio/amo mais do que qualquer outra coisa?
Ouça a sabedoria do seu coração. Confie em sua intuição.
“Criatividade é inventar, experimentar, crescer, correr riscos, quebrar regras, cometer erros, e se divertir” (Mary Lou Cook)